terça-feira, 3 de março de 2015

Bons tempos se aproximam: Outono de 2015 tem o início marcado para 20 de março - 19h45m





É chegado um novo tempo ... um tempo de alívio. 

Um tempo de desapegar para o novo chegar. Tempo de equilíbrio, onde tudo se mostra mais sereno e propenso ao descanso e ao silêncio. 


Desapegar, assim como as folhas que caem de uma árvore no outono, para descansar/recarregar no inverno e na primavera, dar espaço para as novas flores e frutos que nascerão em nossas vidas. 

Tempo bom para a solitude, onde a melhor companhia de fato é a nossa.  

A solitude não é solidão, não é sofrimento. A solitude é a privacidade voluntária, um estado de amor próprio, sobretudo do prazer de estar só. 

Solitude é silêncio, é viver desperto! 

  












Os dias nublados, céu cinza, facilitam o reencontro com o nosso interior, com a Voz da nossa alma.

Somente com o silenciar genuíno é que o vazio acontece e então, o novo se manifesta.

"DAS FRAGRÂNCIAS DO LAGO AO REINO DE LYS...
Que possamos encontrar nas doces fragrâncias do lago, no seu imenso silêncio, o caminho directo, sem intermediação, para o Reino de Lys.
Que na sonoridade doce dos aromas da Nova Terra, possamos nos recolher no sacrário do Ser e ali verdadeiramente nos reencontrarmos com a nossa própria essência.
Lys pulsa no coração profundo de cada Alma desperta, chamando-nos para o encontro há muito anunciado. É o alento que nos eleva pela força da aspiração, da vontade firme e precisa, da devoção ardente e compenetrada, da ousadia daqueles que não temem dizer SIM.
Nos tempos de hoje terminou o ciclo da instrução… nada mais há a dizer, mesmo que muito se possa transmitir. E nada mais há a dizer, porque do contacto directo com essa fonte de Vida Imaculada, todo o conhecimento se desfaz na radiação plena da verdadeira sabedoria que é silenciosa e exacta.
Lys, cujo verdadeiro nome é outro, oculta-se das nossas mentes curiosas há décadas, pois todo o conhecimento transmitido até hoje nunca lhe pertenceu, mas sim a Lis-Fátima, um dos seus prolongamentos mais periféricos. Um novo ciclo de contacto se abre à nossa frente, para que finalmente Lys seja revelada e a sua radiação possa tocar o coração de todos os homens.
Esse Reino, há muito consagrado e tão antigo quanto Shamballa, - irmã nascida do mesmo som - aguarda no silêncio profundo que deixemos os caminhos dos nossos egos, para que em mãos despojadas possa colocar o diamante sagrado e finalmente dar-se a conhecer na sua verdadeira face, não mais coberta pelos véus de Lis-Fátima que ocultaram a jóia mais preciosa dos nossos olhares cobiçosos e tão pouco humildes, mas plena da sua Luz que finalmente, pelas mãos dos seus Filhos despertos nas águas do Espírito, consagrará esta Terra.
Estaremos prontos para receber tal graça? Teremos a coragem de silenciar verdadeiramente, para que no vazio criado, o Novo possa finalmente manifestar-se?
Que todos aqueles que aspiram a este contacto se recolham ao mais profundo do Ser, desapegando-se de todo o conhecimento espiritual acumulado, para que nessa nudez as novas vestes possam ser desenhadas pela mão do grande Mestre.
Que silenciemos todos os ruídos, mesmo os mais espiritualizados, para que o som desse Reino Sagrado possa ser plasmado no nosso coração e através de mãos despojadas e profundamente amorosas, Lys possa finalmente desabrochar e dar a conhecer ao mundo o mais precioso dos aromas.
Um aroma desconhecido, sagrado, imaculado, nunca antes percebido pela mente dos homens. Estaremos prontos para recebê-lo?
Que tenhamos, pois, a coragem de levar ao altar do PAI todas as páginas escritas pelo nosso punho, guardadas no baú mais secreto como relíquias preciosas, e colocá-las em holocausto como sinal da nossa entrega. E depois, pegar numa única folha em branco e lançá-la ao vento sobre as águas deste Lago, para que esse mesmo vento possa finalmente começar a escrever a nossa verdadeira história."

Pedro Elias em 18-11-2008 - http://www.pedroelias.org/











Um aspecto delicioso deste tempo com noites mais longas, frias e escuras, é o aconchego: 

"As famílias e as comunidades se reuniam para festejar no final das colheitas, quando todos os produtos colhidos já tinham sido armazenados. Os dias cada vez mais curtos e as noites mais frias deixavam todos predispostos a ouvir historias, tomar hidromel ou vinho de frutas da safra recente e agradecer á abundancia da Mãe Terra, vestida agora com o colorido dourado das folhas de outono." - Do livro Mistérios Nórdicos, por Mirella Faur.




Celebro a colheita em minha vida e agradeço a fertilidade da Mãe Terra! 


O ritual tem seu início, então começo soltando as folhas velhas, lembrando que as experiências vividas servirão de adubo para fertilizar a terra para os novos frutos, novas materializações em minha vida!

E a vida se renova em mim, o ciclo se cumpre! 

Awen






8 comentários:

  1. Post maravilhoso em todos os sentidos!
    Amei....até senti uma brisa fresca passando agora!
    Beijos Maria Glória♡

    ResponderExcluir
  2. Bom dai Astrid!
    Este tempo é inspirador Anam Cara ... nosso reino!
    Beijo amore.

    ResponderExcluir
  3. Um beijo ao outono de mulheres tão especiais ... em todas as gerações.

    bjs nossos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Assoprando um beijo direto para as mulheres e as mesas tão especiais e hospitaleiras dos Vurdóns!

      Excluir
  4. Inspirador, Maria Glória! Beijo!

    ResponderExcluir
  5. Bo anoite, querida Maria da Glória!
    Seu blog é muito bem organizado... hoje, estou saboreando o post do Outono e ontem vi uma copa de árvore bem outonal me reportando logo aos blogs qu eo celebram neste momento...
    Bjm muito fraterno

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Boa noite Roselia. O outono me inspira, fico tão disposta, acordo animada. Hoje fez um dia maravilhoso, o sol apareceu, o céu estava belíssimo. O entardecer foi mágico, com um céu rosado. Também observo bastante as árvores e folhas nesta época.
      Beijinhos querida e obrigado mais uma vez pela visita.

      Excluir