sábado, 20 de junho de 2015

Baião de Dois a Modo Mio - A inspiração veio do Jayro Baker, da Laje Gourmet, o melhor Antirrestaurante de São Paulo





Todo mundo conhece o famoso prato Baião de Dois? Típico do Nordeste, dizem ter a origem no Ceará ou na Paraíba!? 


Então ... também dizem que normalmente come-se a noite, pois pode ser feito de sobras de arroz e feijão do almoço, portanto o nome Baião de Dois. Baião é uma dança típica do nordeste, também nome de uma música. A carne seca é outro ingrediente importante neste prato. 

No meu Baião de Dois não tem carne seca, eu não sou fã, mas uma vez ou outra lá ... eu como.

Todo mundo sabe o que é um Antirrestaurante? Já ouviram falar em Puertas Cerradas? Home Bistro? Underground Restaurants? São pessoas que preparam uma refeição totalmente artesanal, como a comidinha da mamãe ou da vovó, geralmente na própria casa onde moram, em espaço reservado para esta finalidade ou até mesmo na própria sala de jantar. Pode ou não ter a bebida incluída e se não tiver, o comensal, sabendo do cardápio, leva a bebida que melhor harmoniza. 

O Antirrestaurante é uma tendência que tem como idéia principal, além de degustar uma comida de excelente qualidade em um ambiente diferente e acolhedor, a de conhecer novas pessoas, fazer novas amizades, acessar novas experiências, sem o barulho e regras dos restaurantes convencionais. Esta é uma tendência onde tudo é absolutamente novidade! Claro que recebe grupos de pessoas comuns, conhecidos, familiares, etc ... mas eu acho mais interessante mesmo, a idéia de ninguém conhecer ninguém, da novidade. 

O Antirrestaurante não tem cardápio fixo e não está aberto todos os dias. Quando a comida está pronta, então é servida, e todos os comensais já devem ter chegado. A comida não espera ninguém! Não há garçons, você será servido pelos idealizadores do antirrestaurante, ou seja, não é uma empresa, é uma casa que abre as suas portas, para receber pessoas e faz um jantar ou almoço com simplicidade e, principalmente, paixão.   

Jayro Baker é um amigo que eu conheci no Facebook. O meu primo José Antonio Endsfeldzsabendo da nossa paixão pela cozinha, resolveu fazer as apresentações e a amizade aconteceu. Já fui inspirada por vários de seus pratos e temos em comum o gosto pela cozinha ancestral. Respeitamos muito a simplicidade com que as mães, tias e avós cozinhavam, em tempos de fartura ou não, mas sempre nos modos de preservar a qualidade, sabor, aroma e apresentação do alimento.  

Clique na imagem que segue, com a foto do Jayro Baker, para conhecer a sua página no Facebook, da Laje Gourmet, o seu antirrestaurante:


Uma visão das tortas produzidas pelo Jayro, clique na imagem para ver detalhes:  


Agora vamos ao meu Baião de Dois, que eu fiz com um pouco de restô d´Ontê, acrescentei outros ingredientes, combinei tudo e foi o almoço deste sábado. Redeu quatro porções muito bem servidas, para o almoço, o jantar e olhem ... até sobrou um restô.

De véspera eu cozinhei o feijão. Usei o carioca mesmo, pois não tinha feijão fradinho, que é o mais utilizado para este prato. Cozinhei 1 xícara de feijão carioca até ficar al dente, com uma pitada de sal. Escorri a água e espalhei em um prato para esfriar mais rapidamente e parar o cozimento. Reservei.

Pique, mas bem picadinho: 1 cebola pequena, meio pimentão vermelho, 3 dentes de alho, salsinha e cebolinha em rodelas. Arrume tudo em um prato, mas sem misturar e reserve. Se você gosta de coentro, este prato é o reino encantado para usar e abusar. Só não usei, pois não tinha. Gosto de misturar coentro com salsinha, acho que equilibra o sabor.

Arrume no fogão, uma panela grande; nela serão combinados todos os ingredientes do Baião de Dois.

Pegue uma frigideira ou wok e toste, rapidamente, 1 colher de sementes de coentro. Leve ao pilão e dê umas piladas até quebrar um pouco as sementes. Reserve.

Na mesma panela que tostou as sementes de coentro - eu usei a wok, frite 50 gramas de bacon picadinho com um fio de azeite, até ficar transparente. Com a escumadeira, recolha só os pedaços de bacon e leve até na panela do baião.

Na gordura do bacon, frite 3 linguiças de pernil, de ótima qualidade, sem a pele e cortadas grosseiramente, até ficarem quase crocantes. Com a escumadeira, leve os padaços na panela do baião. Eu juntei um pouco de vinho branco, pois a gordura começou a secar. Mas pode juntar um pouco de água.

Agora frite 1 paio na gordura que sobrou, sem a pele e cortado em pedaços pequenos. Se secar, junte um fio de azeite. Antes que fiquem crocantes, junte na panela do baião.

Eu tinha na geladeira, do dia anterior, uma boa porção de couve-manteiga, feita no modo simples: azeite, alho, sal e assustada na panela. Aqueci na wok por alguns minutos e levei na panela do baião.

Agora é a vez do arroz, Usei 3/4 de xícara, do dia anterior, feito no modo simples: azeite, alho e sal. Aqueci na wok e juntei na panela do baião.

A cada adição de ingredientes na panela do baião, eu a mantinha tampada, para favorecer que tudo ficasse sempre aquecido e, principalmente, úmido. Penso que comer Baião de Dois seco é uma grande tristeza na vida!


Junte na wok, umas 2 colheres de azeite e frite a cebola e o pimentão vermelho. Quando a cebola estiver bem transparente, entre com o alho e metade da salsinha picada. Quando o alho começar a soltar perfume e antes que doure, leve na panela do baião, junte o feijão e misture todos os ingredientes ao refogado. Eis o Baião de Dois, tudo junto e misturado.

Rale pimenta preta e junte 2 colheres de sopa de farinha de rosca caseira, portanto menos refinada, para dar uma liga na mistura. Junte a salsinha restante e a cebolinha, misture tudo delicadamente, tampe e após um minuto já pode servir.

Eu não usei sal em nenhum momento, provei e não senti a menor necessidade. Todos os ingredientes são salgados, incluindo o feijão, que foi cozido com uma pitada de sal.

Servi com mandioca frita e uma cerveja gelada, que eu acho o matrimônio perfeito. No prato, eu juntei pimenta biquinho em conserva e um ovo frito, inspiração que, também, veio do Jayro e suas maldades.

Eu salpiquei no ovo frito, além de flor de sal, as perfumadas sementes de coentro tostadas e piladas. Um delicioso toque cítrico e refrescante. Gosto de usar em pratos mais complexos, com muitos ingredientes, como este.

Ahh! Você gosta de manteiga de garrafa? Vai muito bem aqui!

Foi uma super refeição, digna de uma pennichella pomeridiana - cochilo de tarde.






6 comentários:

  1. Que ideia legal teu primo teve em apresentar vocês e deves ter te deliciado e ele também com a troca de dicas, segredinhos e receitas,Coisa boa parece ter ficado esse teu prato! Bela experiência! Lindo domingo! bjs, chica

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E ficou mais saboroso ainda no jantar, beijo amore mio s2

      Excluir
  2. Bacana está sua "misturada" toda! Em outros tempos já fiz estas reuniões de restos D'ontê....fica bom sim! Um bela sugestão!
    Beijo grande minha querida Maria Glória♡

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu não sou amante de feijão com arroz, mas esta reunião, como você disse Astrid, junto com uma deliciosa mandioca frita, ahhhhh fez bonito.
      Beijo minha Anan Cara s2

      Excluir
  3. Boa tarde, a criatividade na cozinhar origina novos sabores que desertam o interesse em experimentar, certamente é o que acontece.
    AG

    ResponderExcluir